reduzir a indisciplina na escola

12 dicas para reduzir a indisciplina na escola

ideias ano letivo

“Como reduzir a indisciplina na escola”, com certeza é um dos questionamentos que todo diretor já fez em algum momento da sua gestão.

A indisciplina está entre os fatores que mais atrapalham o desenvolvimento dos alunos, pois quando há um com mau comportamento em sala, todos são prejudicados. Em diversos casos, a indisciplina não é uma situação momentânea, mas sim uma característica que acompanha a criança por anos, até a fase adulta.

Esse traço de personalidade pode surgir por diversos motivos, incluindo questões psicológicas ou até mesmo a ausência dos pais durante o desenvolvimento. É claro que os motivos não justificam o comportamento, mas é válido lembrar que, muitas vezes, a melhora só aparece após a detecção do problema e o acompanhamento profissional.

Quando avaliamos esse tipo de personalidade, é válido pensar no esforço do professor, que precisa ensinar diversos alunos, mas que pode ser impedido – seja pelas brincadeiras inoportunas ou até mesmo pela falta de concentração que a classe apresenta.

Falando até pode parecer pouco, mas aguentar esse processo todos os dias por um longo período também acaba comprometendo o desempenho do profissional.

Muitos acreditam que é impossível lidar com o mau comportamento, porém é importante que você saiba que existem formas de reduzir a indisciplina na escola.

Brasil é o país onde os professores perdem mais tempo de aula por causa de indisciplina

Uma pesquisa realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) revelou que 60% dos docentes têm problemas com a indisciplina em sala de aula. A pesquisa, realizada com professores de 33 países, mostrou ainda que o Brasil lidera o ranking de intimidação verbal entre alunos e professores.

Outros dados relacionados com a falta de disciplina também são preocupantes e colocam o Brasil no topo dos países com problemas relacionados ao mau comportamento. Os principais são: 12% dos professores afirmaram terem sido intimidados por alunos, enquanto, de aluno para aluno, o número vai para 34%. Além disso, o Brasil também tem o índice mais alto de uso de drogas e álcool nas escolas.

Os números refletem uma realidade triste e que está presente nas escolas de Norte a Sul. Não fica difícil imaginar como esses quesitos pode dificultar e muito o aprendizado, não é mesmo? E os resultados vão aparecendo ao longo dos anos, com o desinteresse em aprender ou até mesmo com o baixo desempenho em avaliações e provas.

Apesar de ter sido realizada em 2013, os dados da pesquisa foram divulgados em 2015 e mostram que as escolas tiveram pouquíssimos avanços nesse sentido.

Por outro lado, reduzir a indisciplina na escola não é um objetivo impossível de ser alcançado. As instituições precisam buscar entender quais problemas estão causando o mau comportamento e tentar solucioná-los.

Por isso, é essencial que exista a confirmação do problema, ou seja, que um dos professores que acompanham aquele aluno sejam capazes de perceber um comportamento inadequado.

Só assim será possível conversar sobre o tema para compreender o que está motivando determinadas atitudes e o que pode ser feito para melhorar.

Quer saber mais? Então confira a lista que separamos com algumas dicas que podem transformar o dia-a-dia na sua escola. Veja:

Dicas para diminuir a indisciplina

1. Defina regras para reduzir a indisciplina na escola

Um diretor não precisa ser autoritário, mas deve conquistar o respeito dos alunos e mostrar que dentro do ambiente escolar, assim como em qualquer outro da sociedade, existem regras que precisam ser cumpridas.

Por isso, desde o início, as crianças devem saber que se espera que elas respeitem as regras definidas pela instituição de ensino.

Vale criar um documento com as principais, ou as mais importantes, normas e deixar colado em um local visível. No primeiro dia de aula, mostre aos alunos, peça para que leiam e digam se entenderam.

Sempre que um aluno tiver uma atitude de indisciplina e for encaminhado para a diretoria, mostre o documento e pergunte se a criança tem alguma dúvida sobre ele.

É válido mencionar que o autoritarismo não transforma de forma positiva. Mas o conhecimento e a disciplina podem modificar para melhor o futuro de qualquer aluno.

2. Seja o maior exemplo dentro da escola

As crianças repetem as atitudes que eles veem nos adultos, principalmente quando são muito pequenas. É comum que vejam nos profissionais da escola um exemplo de pessoas em quem podem confiar, por isso, o que o docente faz é um modelo para todos.

Não quebre as regras. Ter coerência no discurso e nas atitudes é fundamental para garantir o melhor comportamento e reduzir a indisciplina na escola. Quando falhar, converse com eles, peça desculpas e se comprometa a corrigir ou não cometer o mesmo erro. Eles usarão essa atitude como exemplo.

Lembre-se: nunca tente modificar um erro ou esconder algo, afinal, se isso acontecer elas entenderão que mentir faz parte do processo e que essa é a saída mais fácil quando existem problemas que precisam ser resolvidos.

3. Não seja bonzinho o tempo todo

Os profissionais da escola podem ser amigos dos alunos e devem tratar a todos muito bem, mas também devem saber o momento de corrigir os erros e as falhas das crianças.

O diretor não deve sentir medo ou receio de punir um aluno que infringiu uma regra. Essa é a função do educador. É claro que essa punição deve estar de acordo com o que é esperado do profissional, sem casos de falta de respeito.

4. Desenvolva aulas inovadoras e atrativas

Um aluno concentrado em sala de aula não tem tempo para ser indisciplinado. É responsabilidade dos professores e da coordenação pedagógica desenvolver atividades que prendam a atenção do aluno.

Enquanto estiver interessado no conteúdo e nas atividades da aula, ele não terá criatividade para inventar formas de atrapalhar. Contar com o apoio e o auxílio da diretoria será fundamental para o desenvolvimento do planejamento pedagógico.

É claro que pensar em aulas atrativas e cativantes pode ser uma tarefa desafiadora! Porém, é importante lembrar que a recompensa será o desenvolvimento de cada um.

Afinal, não é segredo para ninguém que uma boa aula pode ser capaz de despertar o melhor em cada aluno. Uma boa dica é perguntar aos envolvidos quais assunto eles gostam ou o que gostariam de aprender em sala de aula, mas que só viram nos livros.

Assim fica mais fácil saber qual tipo de conteúdo pode ser cativante o suficiente para concentrar todos os envolvidos.

5. Envolva os alunos em atividades de cooperação

Que tal criar um programa onde todos devem cuidar da sala de aula e de todo o ambiente escolar? Transferir a responsabilidade do cuidado com o ambiente em que se vive com os alunos estimula a preocupação e a atenção com o que está acontecendo ao seu entorno.

Quando o aluno sabe que aquele local ou objeto está sob seus cuidados, ele se sente motivado a cuidar dele e não terá coragem de causar nenhum dano ao espaço.

Essa é uma atividade importante, que vai além do desenvolvimento como aluno. Isso porque na fase adulta, as pessoas vão precisar cuidar das próprias coisas, então nada melhor do que começar a praticar desde cedo, não é mesmo?

Esse é o melhor mecanismo para criar adultos responsáveis e preparados para a realidade da vida.

6. Tenha calma

Agir com raiva e nervosismo não ajudará em nada. Às vezes o que o aluno quer é apenas tirar o profissional do sério, por isso, não caia nesse jogo.

Sempre que o aluno desacatar uma ordem, violar uma regra ou ignorar o que está sendo pedido, respire fundo e reflita sobre o problema. Como ele pode ser solucionado para reduzir a indisciplina na escola?

Muitas vezes, nos casos em que o profissional acaba caindo na “brincadeira”, a indisciplina pode ser ainda maior, já que outros podem tentar fazer a mesma coisa, criando outros alunos indisciplinados.

7. Negocie

Depois de refletir e buscar uma solução para o mau comportamento, chame o aluno para conversar e tente negociar. Peça para que ele te explique por que agiu daquela forma e mostre-se aberto para tentar resolver o problema, de uma forma que seja positiva para os dois lados.

Pergunte ao aluno o que ele pode oferecer para a escola como uma forma de se desculpar. Mostre para ele que conversar sobre os sentimentos e angústias é a melhor forma de tentar acabar com elas.

Nesse momento, seja sincero e se coloque à disposição para ouvir o que ele tem para contar. Não adianta estar ali apenas por obrigação. Se você for capaz de compreender o que está atrapalhando aquela pessoa, será mais fácil solucionar o problema.

Aproveite o momento para criar um elo de confiança entre vocês e demonstre que a escola está preocupada com o bem-estar do aluno.

8. Um aluno indisciplinado é um desafio

Reduzir a indisciplina na escola é um desafio e o aluno faz parte dele. Nunca comente sobre o aluno de forma antiética, expondo seus problemas para os colegas de classe ou algo do tipo.

Existem diversos casos de crianças que são indisciplinadas na escola por causa de problemas familiares ou porque os pais não exigem que ele apresente um bom comportamento.

Por isso, se algum aluno souber desse problema de uma forma não respeitosa, você agirá contra a ética da profissão. Lembre-se que nessa fase da vida o que muitos precisam é de uma relação de confiança, coisa que podem não encontrar na própria família. Só assim será possível contar com alunos motivados

9. Não compare os alunos

Nenhuma criança é igual à outra, por isso não devem ser comparadas. Um aluno que se comporta mal, mas não percebe a dimensão dos seus atos, pode se sentir frustrado ao ser comparado com outro. Isso fará com que ele tenha atitudes ainda mais indisciplinadas.

Por isso, jamais faça esse ato de comparação, principalmente se for perto dos alunos. O que acontece, em alguns casos, é que o professor acaba comparando determinado aluno com outro durante a aula, para toda a classe ouvir.

Essa simples atitude pode ocasionar diversos danos para aquele que está sendo criticado, afinal, ele não terá incentivo para mudar.

10. Conheça seus alunos

Na correria do dia-a-dia, muitas vezes não temos tempo de conversar e conhecer melhor as pessoas que estão ao nosso redor e isso pode impactar no relacionamento.

Muitos alunos que se comportam mal, agem dessa forma porque gostariam de ter um pouco mais de atenção. Aproveite os intervalos entre as aulas e as atividades para conversar mais com as crianças.

Essa é uma aproximação que pode fazer muita diferença no cotidiano, até mesmo nas notas. Isso porque elas entenderão que você é um amigo e que está disponível para ajudar sempre que for necessário.

Esse é o melhor caminho para melhorar a educação e para comprovar como a relação entre aluno e professor pode ser benéfica para ambos os lados, concorda?

Reduzir a indisciplina na escola é um processo diário que precisará ser feito sempre. Aplique nossas dicas e comente se elas ajudaram.

11. O medo não é o caminho

Não é difícil encontrar casos em que ao invés de administração, o aluno desenvolve um caso de medo do professor. Sendo assim, basta ouvir a voz ou lembrar de determinada aula para ficar paralisado!

Porém, é fundamental compreender que esse não é o caminho correto e que isso não deve ser feito por nenhum profissional.

A relações que são baseadas no medo não oferecem nenhum benefício, nem para a criança, muito menos para o professor.

12. Esteja sempre à disposição

Não há nada mais chato do que buscar a ajuda de alguém e não receber esse auxílio, não é mesmo?

Por isso, é fundamental que o aluno saiba que você está sempre à disposição, ou seja, sempre disponível para ajudar em qualquer problema ou situação. É por meio dessa proximidade que muitos podem contar problemas familiares, conflitos internos ou casos de bullying na escola.

Não estar presente nesses momentos pode intensificar o comportamento inadequado, alterando a forma como aquele aluno está disposto a aprender. Seguindo essas dicas, será mais fácil mudar o dia-a-dia da sua escola para melhor!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Leituras recomendadas

Controle de acesso de alunos: como fazer de forma eficiente

Comunicação com pais e alunos: 7 dicas para otimizar

Reunião de pais: 7 dicas para criar uma comunicação eficiente

Guia da Consultoria de Software Educacional

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.