acessibilidade nas escolas

Acessibilidade nas escolas: como ter uma instituição mais acessível?

A acessibilidade nas escolas é a adaptação dos ambientes e as metodologias de ensino para a inclusão de pessoas com deficiência ou necessidades especiais. É previsto pela Lei de Acessibilidade nas escolas que todas às pessoas em condições de deficiência física e intelectual têm direito à igualdade de oportunidades e a um sistema educacional inclusivo. Sendo assim, as instituições precisam obrigatoriamente adaptar estrutura e todos os níveis educacionais de forma que agreguem essas pessoas.

Estar a frente desse assunto, procurar e se informar sobre a acessibilidade é muito mais que uma lei, é respeitar essas pessoas e dar a elas a oportunidade de frequentar a escola e ter o ensino regular garantido. No entanto, tornar esse ensino acessível pode ser uma tarefa não tão simples. Há várias questões que precisam ser trabalhadas, tais como: a comunicação, aproveitamento de espaços, metodologias de ensino etc.

Por isso, neste post daremos algumas dicas sobre como deixar uma instituição escolar mais acessível. Confira!

Qual a importância da acessibilidade nas escolas?

A escola deve garantir a inclusão social e estimular esses alunos com necessidades especiais da mesma forma que os outros. Promover que cada estudante tenha condições de participar da sociedade da mesma maneira que os outros, por meio do acesso ao conhecimento.

Sendo assim, a instituição deverá conhecer e adaptar o ambiente às potenciais limitações desses alunos de forma que consigam focar em aspectos que mais necessitam de rendimento e, consequentemente, formam cidadãos que saibam respeitas as diferenças.

De acordo com pesquisas feitas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em 2018, o número de estudantes com deficiência de escolas públicas e particulares no Brasil chegou a cerca de 1,2 milhão. Esse número vem crescendo durante os anos conforme a aplicação do sistema educacional inclusivo previsto por lei.

Como ter uma instituição mais acessível?

São diversos os tipos de deficiências. Sejam elas físicas, visuais, auditivas, intelectuais, psicossociais e até deficiências múltiplas — quando há uma ou mais deficiências. Por isso, será necessário adaptar alguns aspectos para contemplar esses casos.

Otimize os espaços

A otimização dos espaços consiste em diversas modificações no ambiente para adaptá-los: colocar espaço entre carteiras para facilitar a passagem de cadeirantes, assim como corredores e visão ampla da sala e do professor, instalar a lousa a uma altura menor que 0,90 m do piso, destinar 2% de vagas no estacionamento (ou no mínimo 1 vaga) para pessoas com mobilidade reduzida, adaptar pelo menos 5% dos banheiros para portadores de necessidades especiais, adaptar as portas a uma largura mínima de 0,80 m e altura de 2,10 m.

Instale rampas

A instalação de rampas é necessária para acessar todos os ambientes da escola, principalmente, outros andares, sem dificuldades. Os corrimãos devem ter duas alturas: uma de 0,70 m e outra de 0,92 m. E a largura mínima recomendada de 1,50 m. É ideal também nivelar o piso (principalmente nas áreas externas).

Coloque pisos táteis

Os pisos táteis são importantes para deficientes visuais se deslocarem e se localizarem com facilidade e de forma autônoma. Existem os pisos táteis direcionais para locomoção e o pisos táteis de alerta que indicam a localização e alertam sobre obstáculos. É necessário também instalar um mapa tátil na entrada da instituição.

LGPD entenda como ela modifica a dinâmica nas instituições de ensino

Adapte as carteiras

É necessário adaptar pelo menos 1% (sendo que o mínimo deve ser 1 a cada duas salas) das cadeiras de sala de aulas, laboratórios e refeitórios para pessoas com deficiências. Elas devem ser flexíveis com altura de, no mínimo, 0,73 m do chão. As carteiras devem ter altura flexível de até 0,73 m do chão.

Atente-se aos avisos e sinalizações

É necessário colocar sinalizações para indicar a acessibilidade às pessoas com mobilidade reduzida e deficiência visuais, por meio do símbolo internacional do acesso. As sinalizações para pessoas surdas devem ser indicadas por meio do Símbolo Internacional Deficiência Auditiva. Eles devem ser feitos em branco sobre azul, mas também é permitido em preto e branco. Esses avisos devem estar posicionados sobre móveis e banheiros adaptados, assim como vagas de estacionamento, especificamente para essas pessoas.

Adapte o material didático

As matérias usados em sala devem ser adaptados para facilitar o acesso por portadores de deficiências. Será preciso conteúdo visual (como legendas e/ou tradução em libras) para deficientes auditivos no caso de material audiovisual e conteúdo em braile ou programas que transformam texto em áudio para deficientes visuais.

A Norma de Acessibilidade é onde se encontram especificações sobre esses materiais. É necessário que os gestores disponibilizem esses conteúdos adaptados para acessibilidade para todos os educadores conseguirem aplicar nessas aulas aos alunos especiais.

Contrate profissionais

Um dos maiores desafios na preparação das aulas para docentes, é a adaptação da aula para alcançar esses alunos especiais. Isso porque cada deficiência necessita de uma abordagem diferente. Muitas vezes os professores não conseguem dar a devida atenção para esses alunos específicos, por terem que lidar com uma sala com muitos estudantes. Por isso, é necessário um professor auxiliar nesses casos.

Vale ressaltar que professores, assim como outros profissionais da educação, precisam de treinamento para saber lidar com portadores de deficiência. Assim como, portadores de deficiência auditiva devem ter um intérprete de LIBRAS para atendê-lo.

Promova uma cultura de valores inclusivos

Essa diversidade deve ser bem clara em sala de aula. Todos os envolvidos devem respeitar as diferenças, inclusive os outros alunos. Dessa forma, deve ser mostrado que essa situação é muito comum no dia a dia e ser inserida de forma natural na rotina dos estudantes. Com isso, o relacionamento entre os alunos cresce, assim como a colaboração.

Organizar debates, trabalhos e até atividades sobre o assunto é uma forma de trazer o tema a tona e esclarecer dúvidas sobre o assunto. Isso pode garantir que não haja preconceitos e faz com que os alunos adotem uma postura exemplar.

Por fim, conheça o estado do aluno. Nesse caso, a instituição também pode envolver-se mais com a família, mantê-la informada sobre os acontecimentos gerais e promover uma colaboração de ambas as partes para contribuir com o aprendizado desses estudantes. A acessibilidade nas escolas é extremamente importante para garantir que esses alunos tenham uma experiência satisfatória ao adquirir conhecimento.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite ler este artigo sobre educação inclusiva!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
planejamento escolar

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.